Skip to main content

A compostagem é um processo de equilíbrio e varia de acordo com o material colocado, local, época do ano, temperatura, umidade… Ela é um processo natural e assim como a natureza não é estática, a compostagem também não é. Tenha paciência no processo de aprendizagem e não desista – é muito gratificante ver seu lixo se transformar em algo gerador de vida! Abaixo seguem algumas respostas às perguntas mais frequentes e dicas para te ajudar nesse processo. Boa compostagem!

Saiba mais sobre a Composteira Rotativa Usare Life 

Veja a Composteira Rotativa Usare Life na nossa loja virtual

Baixe aqui o Manual da Composteira Rotativa Usare Life 

Dúvidas frequentes sobre a Composteira Rotativa

Como posso saber se está pronto?

O composto está pronto quando as folhas, grama e restos de comida perderam suas identidades e se transformaram em um escuro e rico húmus que consegue se empelotar ao ser apertado, mas em geral ele é solto e granulado. O nível de umidade a ter como alvo é “como uma esponja molhada após se espremida”. O volume dentro do barril também vai ter reduzido consideravelmente do que foi originalmente adicionado.

Nenhum composto é perfeito, é comum ter que catar à mão alguns pedaços de material (como galhos ou caroços) que ficaram pra trás ou filtrar até com uma tela. Para o composto ficar pronto é essencial que após o término da fase de adição de materiais, não se adicione mais nenhum verde!

Depois dessa fase recomendamos no máximo a adição de marrons muito bem picados para correção de proporção Verde/Marrom ou de umidade. O granulado de madeira é ideal nesse caso pois irá se pulverizar e se misturar bem com a pilha. E continue girando durante os 30-50 dias de decomposição para incluir oxigênio na mistura!

Minha compostagem não parece ficar pronta nunca, e agora?

Se a sua composteira está demorando para render resultados tem algumas coisas que você deve prestar atenção:

Tamanho dos pedaços. Às vezes alguns pedaços grandes de papelão, caroços e alimentos duros podem demorar para se decompor. Se o resto do composto parece pronto, você pode filtrar ou catar os pedaços grandes e deixá-los para o próximo ciclo. Se na pilha de composto ainda há pedaços “reconhecíveis do que eram antes”, o composto não está pronto.

Calor. O processo de decomposição deve liberar calor, uma pilha fria está inativa. Caso ela esteja inativa preste atenção nas proporções do que você adiciona, recomendamos uma proporção de 3 volumes de marrons (carbono) para 1 volume de verde (nitrogênio), veja o manual(link) para mais detalhes. Colocá-la ao sol também é altamente recomendado, a cor preta foi projetada para acumular o máximo de calor possível.

O fator mais comum responsável por estar frio é a falta de carbono, recomendamos re-ativar/reaquecer a pilha adicionando folhas secas trituradas, jornal picado, serragem bem moída ou pulverizada (como os granulados utilizados como forro para animais). 

Gire bem a composteira. Caso muito “compactada” em bolotas, quebrar os grandes torrões e misturar com o auxílio de uma ferramenta vai ajudar a recomeçar o processo. A cada dois dias gire novamente. É importante dar um tempo de descanso entre misturadas para o calor acumular. O resto desse Perguntas Frequentes pode ter mais dicas que se aplicam ao seu caso.

Parece muito seco ou molhado, o que devo fazer?

O equilíbrio de água dentro da composteira pode ser tão importante quanto o de Carbono e Nitrogênio, o nível de umidade a ter como alvo é “como uma esponja após se espremida”.

Diferente da compostagem a céu aberto, dentro de um ambiente fechado não há evaporação. Alguns tipos de comida tendem a reter mais água que outros (café passado, tomates, frutas etc.), então é necessário prestar atenção. 

Esse equilíbrio de umidade vai ser controlado alterando o que você adiciona. Se estiver muito molhado coloque mais materiais que absorvem água: Jornal, Papelão, Serragem, Caixas de Ovo. (sempre bem picados!)

No caso de muito seco e arenoso, basta ir adicionando água aos poucos, até chegar no alvo de umidade.

Insetos se mudaram para dentro da minha composteira, como evitar isso?

A compostagem é um processo natural dentro de um tambor, então mesmo com todos sistemas de vedação é comum que alguns pequenos insetos queiram morar lá dentro. Insetos em geral são inofensivos para o processo, até acelerando a quebra do material. Em áreas externas a presença de alguns moradores dentro da composteira é bem habitual.

Se no seu caso deseja evitá-los, a dica geral para evitar a entrada desses animais é manter a temperatura alta, uma compostagem ativa e aquecida não é o lar ideal para insetos. Aumente a temperatura! Adicione mais Marrons (idealmente papelão ou folhas secas picadas). Se estiver acumulando os restos de comida em um recipiente antes de colocá-los na composteira, tente manter esse recipiente bem tampado, as larvas podem estar entrando junto com os restos de comida.

Caso o calor não baste, preste atenção na umidade no interior da composteira – uma composição muito úmida pode atrair as larvas de moscas de frutas, já uma composição muito seca com folhas pode ser o lar ideal para algumas espécies de besouro. Um bom equilíbrio de água vai diminuir a incidência de insetos.

Em casos extremos, o ideal é dar uma parada no processo para reequilibrar o ambiente interno da composteira e criar um ambiente inóspito para a reprodução e sobrevivência dos insetos. Coloque uma camada de cerca de 2 dedos de espessura só de material marrom, tampando toda a matéria orgânica colocada anteriormente na composteira. A ideia aqui é criar uma vedação para as larvas dos insetos que podem estar no material, então feche a tampa e não gire a composteira. Ela deve ficar fechada e parada até dar o tempo de encerrar o ciclo de vida das larvas. Esse processo pode levar algumas semanas ou até um mês. Tenha paciência e controle isso pela quantidade de mosquinhas por fora da composteira, sem abrir a tampa para que não haja aeração na composteira. Encerrado esse processo, você pode voltar a compostar o material e alimentar a composteira normalmente, lembrando de tomar os cuidados para evitar outras infestações.

Minhocas (vermicompostagem) é compatível com essa composteira?

A resposta breve é: Não. As minhocas dentro do ambiente da composteira não tem como se locomover para fora, em pilhas de compostagem aberta elas conseguem entrar e sair controlando o calor. O aquecimento da compostagem impedirá que prosperem.

Como devo limpar minha composteira?

A composteira é fabricada em polietileno, um material resistente ao sol e chuva, mas certos produtos químicos podem ressecá-lo. Para limpá-la use uma esponja e sabão neutro e depois enxague com água. Saponáceos e lavadoras WAP também podem ser usados.

Posso armazenar o chorume com a composteira em área externa? 

Não. Se a composteira ficar em uma área externa descoberta exposta à chuva, ela precisa ser usada no modo que escorre o chorume direto ao solo. Isso porque, embora a composteira seja resistente à chuva, dependendo da quantidade de precipitação, o reservatório não consegue comportar o chorume mais a água de chuva levando-o a transbordar.

Minha composteira está dando larva, é normal?

As larvas preferem um ambiente úmido e costumam aparecer quando o composto está mais molhado. É normal e inclusive bastante positivo porque as larvas ajudam muito no processo de compostagem, acelerando-o. No fim, quando termina o processo, elas ficam sem alimento e acabam virando também parte do adubo. Mas se estiver incomodando (elas são amigas do processo mas sabemos que podem ser nojentinhas de olhar), há maneiras de lidar. Uma é cobrir o composto com uma boa camada de marrons, uns 3cm de altura, sem girar a composteira, e deixá-la descansando, sem alimentá-la por 2 a 3 semanas para que as larvas encerrem seu ciclo de vida. Depois disso, você pode voltar a alimentar a composteira e girar normalmente, mas para evitar que não voltem a aparecer, sempre que colocar lixo mais molhado (borra de café, chá, tomate, tudo que tiver mais líquido), compense com uma quantidade maior dos marrons.

Posso colocar clara e/ou gema de ovo ou ovo estragado inteiro na composteira?

Não é necessário lavar as cascas de ovos antes de colocar na composteira, pois o pouco de resíduo que vai junto não vai interferir, mas jogar o ovo inteiro não é recomendado. No caso do ovo estragado ainda será um problema maior pelo cheiro. Via de regra, carne e resíduo animal de qualquer tipo não é recomendado pois, além de demorar mais a compostar, causa mal cheiro, pode criar vermes e atrair bichos indesejados e pode haver proliferação de bactérias danosas.

Posso colocar alimentos mofados e frutas com bicho na composteira?

Se o alimento está na lista dos recomendados, pode colocar sem problemas. O mofo não vai interferir e quanto aos bichinhos das frutas, eles completarão seu ciclo de vida na composteira, eventualmente virando parte do adubo.

Posso colocar sementes na composteira?

Pode colocar, sim. Algumas sementes não vão decompor no primeiro ciclo e as maiores (como de abacate, por exemplo) podem ser separadas manualmente do adubo e recolocadas na composteira para mais um ciclo. O que acontece quando sementinhas são colocadas na composteira é que, quando você usar o adubo, é bem possível que nasça uma plantinha.

Join the discussion 2 Comments

Leave a Reply

Close Menu

Categorias